Quarta-feira, 9 de Setembro de 2020

História de Oliveira do Hospital - José Garcês

Resumo- Ulveira, a do Espital. Sob este nome ganhou identidade o local hoje conhecido como Oliveira do Hospital. Terra doada, pela Condessa D. Teresa, aos Hospitalários de S. João de Jerusalém (Ordem de frades guerreiros que dá o nome à terra), na década de vinte do século XII, encontra-se povoada por muitas histórias, misto de lendas e factos, onde personagens ilustres ganham corpo. José Garcês procurou transmitir esta riqueza cultural no livro de banda desenhada aqui apresentado, com o objectivo de perpetuar a memória de uma região que é senhora de um inestimável património histórico-cultural, emoldurado por uma paisagem serrana de grande beleza.

(imagem e texto de fnac.pt)

 

Voltei a ler para recordar a história desta terra do meu coração!

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 08:34

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Setembro de 2020

Vidas Adiadas - Dorothy Koomson

Resumo- Verity mente… E é por isso que está prestes a ser detida por tentativa de homicídio. Serena mente desde sempre… E talvez por isso a sua filha se veja obrigada a fazer o impensável… Poppy vive assombrada pelas mentiras… Irá a sua busca pela verdade acabar por ferir todos os que ama? Todos mentimos. Mas quais mentiras acabarão em tragédia? Da autora bestseller de A filha da minha melhor amiga e Conta-me o teu segredo, chega-nos a arrebatadora continuação de Um erro inocente.

(imagem e texto de fnac.pt)

 

Muito Bom! Espetacular! Dorothy Koomson continua a ser uma das minhas escritoras de eleição! Adorei e recomendo! 

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 11:13

link do post | comentar | favorito
Sábado, 5 de Setembro de 2020

Clorofila - Raymond Macherot

Colecção clássicos da revista Tintin - Editora Asa Público - 2009

Clorofila: Este álbum inclui 2 histórias:

                 - Clorofila Contra os Ratos Negros

                 - Clorofila e os Conspiradores

 
Raymond Macherot
 
 Imagem
 
Desenhador, Argumentista 
(Bélgica) Verviers, 30 de Março de 1924 - Verviers, 26 de Setembro de 2008

Raymond Macherot foi um mestre da BD em séries animalísticas poéticas e satíricas, como Clorofila e Sybilline, publicadas nas revistas Tintin e Spirou. Raymond Macherot desejava inicialmente seguir uma carreira no jornalismo e na pintura, mas por necessidades financeiras, dedicou-se à ilustração.
Os seus primeiros desenhos, assinados com o pseudónimo de Zara, foram para o magazine satírico Pan. Em 1953, entra na revista Tintin e nos estúdios de arte da editoras Lombard. Aqui realiza inúmeras ilustrações e histórias curtas, escrevendo também o primeiro episódio de O Cavaleiro Branco, desenhado pelo casal Funcken.
Um ano depois, cria a sua primeira série com animais e a mais conhecida da sua carreira, Clorofila e Minimun. Até 1963, Macherot responsabiliza-se pela série, passando depois para outros autores, como Guilmard e Hubuc. Paralelamente, desenhava histórias curtas de Pére La Houle e Klaxon. Entretanto, cria em 1960 a série policial do coronel reformado Clifton, tendo escrito e desenhado três episódios, sendo rendido por Turk e De Groot.
Macherot deixa a revista Tintin em 1964 e junta-se à redacção da Spirou, onde faz a sua estreia com outra série de animais chamada Chaminou et le Khrompire, sobre um gato aristocrata no reino da Zoolande. Infelizmente, a série dura apenas um episódio (até 1989, quando foi continuado por Denis Bodart e Yann e mais tarde por Olivier Saive e novamente Macherot). Um ano depois, Macherot cria Sybilline et Taboum, continuando os temas já explorado em Clorofila. Macherot desenha esta série, auxiliado por Deliège nos argumentos, até à sua aposentação em 1990.
Na década de 1970, Macherot junta-se ao escritor Raoul Cauvin para criar a série do gato Mirliton. Como argumentista, Raymond Macherot cria com Yvan Delporte Mulligan (desenhado por Berck) e Isabelle (desenhado por Will). Em 2005, Macherot e André Taymans começam a trabalhar em novas aventuras de Sybilline.
 
 
 
Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 22:09

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2020

Imortal - José Rodrigues dos Santos

Resumo- Um cientista chinês anuncia de surpresa o nascimento de dois bebés geneticamente modificados. Logo a seguir é raptado. A imprensa internacional interroga-se, os serviços secretos mexem-se. Tomás Noronha é interpelado em Lisboa por um desconhecido. Pertence à agência americana de tecnologia, DARPA, e revela-lhe um projeto secreto inspirado no Homem Vitruviano, de Leonardo da Vinci. De repente, o apartamento onde ambos se encontram explode e o metro para onde fogem sofre uma colisão mortífera. O mundo parece enlouquecer...

(imagem e texto de fnac.pt)

José Rodrigues dos Santos nasceu em 1964 em Moçambique. Doutorado em Ciências da Comunicação, é jornalista da RTP. Trabalhou na Rádio Macau e na BBC e foi colaborador permanente da CNN.
É prémio Bertrand de Ficção, prémio do Clube Literário do Porto, prémio Portal da Literatura e Prix Lusophonie Littérature.
IMORTAL é o seu vigésimo romance.

(imagem e texto de gradiva.pt)

 

 

Surpreendente! Fascinante!

Li as primeiras obras do autor, "A Vida num sopro" e "O Anjo Branco"gostei... 

Os temas seguintes não me cativaram. Deixei de o ler.

Ler esta obra foi uma boa decisão! 

O livro conduz a uma reflexão sobre os avanços tecnológicos, a inteligência artificial, a manipulação genética e a evolução do Homem a par destes progressos.

O autor fez uma investigação muito completa sobre estes assuntos. Os factos estão muito bem fundamentados e a escrita é excelente!

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 22:37

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Agosto de 2020

Valérian e Laureline - Pierre Christin e Jean-Claude Mézières

Coleção Os Incontornáveis da Banda Desenhada 

Publicação ASA e Público, Público/ASA, 2011

Este volume inclui 2 álbuns: 

- Nas Imediações do Grande Nada

- O AbreTempo

 

Valérian e Laureline são dois agentes espaço-temporais, que vagueiam no Universo a bordo de uma nave fretada pela Galaxity, capital do Império da TerraPierre Christin, romancista e argumentista, e o desenhador Jean-Claude Mézières criaram esta série de ficção científica para o semanário francês Pilote, cujas primeiras pranchas saíram no #420 de 9 de Dezembro de 1967.
Valérian teve a sua estreia em Portugal na revista Tintin #36/3º ano, 30 de Janeiro de 1971, tendo sido editado nas revistas Jornal da BDFlecha 2000 (suplemento do jornal Diário Popular) e Selecções BD (1ª série). Em álbum teve edições pela extinta Meribérica e, actualmente, pela ASA.

Com a presente edição destes dois episódios, a saga da série fica totalmente editada em Portugal.

 

 

Súmla de Nas Imediações do Grande Nada

Num asteróide perdido algures no universo, Valérian e Laureline tornaram-se pequenos comerciantes. São na verdade negociantes muito pouco prósperos, mais interessados na recolha de informações sobre o desaparecimento da Terra do que na facturação do seu negócio. Por isso se alistam numa expedição que vai brevemente partir para explorar o Grande Nada.

 

Súmula de O AbreTempo

Valérian e Laureline prosseguem a sua epopeia em busca da Terra desaparecida e descobrem que os Limboz, deploráveis criaturas do Grande Nada, possuem um misterioso objecto, o Abretempo, que é activado pela força mental de almas puras. Valérian e os seus amigos conseguem activar o Abretempo, o que liberta a Terra das suas amarras e a recoloca no seu devido lugar no sistema solar, ao passo que os Wolochs desaparecem no Grande Nada.
 
 
Pierre Christin
 

 Imagem

 
Argumentista
(França) Saint-Mandé, 27 de Julho de 1938


Pierre Christin está entre os melhores escritores actuais de BD. Christin estuda línguas e política e, em seguida, é professor de francês numa universidade americana. Nos Estados Unidos, encontra o seu amigo de infância, Jean-Claude Mézières, com quem faz um pequeno filme para uma estação de televisão local. Christin e Mézières, em seguida, começam a produzir material para a revista Pilote. Na época, Christin ainda trabalha sob o pseudónimo de Linus. De regresso a França, continua a escrever histórias para BD para revistas como Pilote e Tout Jornal, com artistas como Jean Giraud, Jijé, Mazel, Jean Torton, Florenci Clavé, Raymond Poïvet Alexis.
Juntamente com Mézières, Christin cria sua primeira série, Valérian, uma saga de ficção-científica lançada em 1970 e que se torna bastante popular ao longo dos anos. Enquanto escreve histórias para BD, volta a leccionar, desta vez numa universidade em Bordéus. Expande as suas actividades na BD na década de 70, escrevendo para Claude Auclair (Jason Muller), Jean Vern (En Douce Le BonheurLa Maison du Temps qui Passe, etc), Jacques Tardi (Rumeurs sur le Rouergue) e Enki Bilal (La croisière des OubliésO navio de pedraAs falanges da Ordem Negra, etc.) Os anos 80 trouxe novas colaborações, com Annie Goetzinger, François Boucq (o bem-humorado Les Leçons du Professeur Bourremou), Patrick Lesueur, Jacques-Henri Tournadre e Bernard Puchulu.
Pierre Christin é também o autor de várias "graphic novels", como Los AngelesCorações Sangrentos (ambos com Bilal), Lady Polaris (com Mézières), e Le Tango du Disparu (com Goetzinger). Em 1990, lança outra série com MézièresCanal Choc. Juntos também colaboram na série Valérian para televisão. Christin também continua as suas atividades de escrita com argumentos para Daniel Ceppi, Max Cabanes, Philippe Aymond, Jacques Ferrandez e Jean-Claude Denis. Além de seu trabalho na BD, Pierre Christin é o autor de vários romances, além de uma peça de teatro.

 

Jean-Claude Mézières

 Imagem

 
 Argumentista, Desenhador
(França) Paris, 23 de Setembro de 1938

 Jean-Claude Mézières é um dos mais influentes desenhadores europeus de ficção científica, mais conhecido como o co-criador do Valérian com Pierre Christin. Mézières nasce em Paris, onde estuda no Instituto de Artes Aplicadas, juntamente com Jean Giraud. Enquanto ainda frequenta a escola de arte, colabora com várias revistas, incluindo a Coeurs Vaillants (1953-1954). Nos anos seguintes, desenha para as revistas Bonjour Philipinne, Fripounet et Marisette e Spirou, bem como livros e publicidade.
Mézières cumpre o seu serviço militar em Tlemcen, Argélia. Seguidamente,  encontra emprego nos Studios Hachette em 1961. Lá, trabalha como ilustrador para  um livro da série L'Histoire des Civilizations, juntamente com Jean  Giraud.
No entanto, sua paixão pelo Velho Oeste americano e a vida de vaqueiro leva-o a viajar para os Estados Unidos em 1965. Aí trabalha num rancho em Montana e acaba  por reunir-se com seu amigo de infância Pierre Christin em Salt Lake
City, Utah.  Durante este período, faz ilustrações para uma pequena agência de publicidade e  para uma revista Mórmon. Com Christin produzem alguns contos para a revista  Pilote, em França. A sua colaboração veio a florescer quando começam a série do  agente espaço-temporal Valérian e da sua namorada
Laureline.  Até então, Mézières tinha publicado histórias mais curtas na revista Pilote, com  argumentos de Christin (Linus), Fred, Reiser, Lob e Goscinny. Assume a  continuação da história L'Extraordinaire et Troublante Aventure de M.  Auguste Faust com o argumentista Fred.
A primeira aventura de Valerian aparece no Pilote em 1967.  Desde então, Mézières trabalha quase exclusivamente na série que também já foi  adaptada a uma série animada de TV. Além de Valérian, Mézières  e Christin têm lançado one-shots, como Lady Polaris (Autrement, 1987) e  a série Canal Choc (Les Humanoïdes Associés, 1990). Para este  último trabalho, Mézières foi principalmente supervisor, sendo a arte feita  pelos seus alunos Hugues Labiano, Philippe Aymond e Philippe Chapelle. No final  dos anos 1980, Mézières começa a experimentar com cores directas em alguns  contos para a Métal Hurlant. Para Le Monde, é um ilustrador regular para a  coluna Heures Locales. Jean-Claude Mézières também ministra cursos de BD na  Universidade de Paris, Vincennes, sendo alunos artistas como André Juillard e  Régis Loisel. Ainda visita regularmente os EUA para experimentar a vida no  campo.

 

(imagens e textos de http://biblobd.blogspot.comhttp://bedetecaportugal.weebly.com)

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 17:30

link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Agosto de 2020

O Buda Azul - Cosey

Coleção Os Incontornáveis da Banda Desenhada 

Publicação ASA e Público, Público/ASA, 2011

Este volume inclui 2 álbuns: Tomo 1 e Tomo 2

 

Súmula dos dois episódios que compôem a série O Buda Azul:
 
O Buda Azul – Tomo 1

 

Um jovem inglês, residente na Índia nos anos 1960, foge para não ir parar às escolas de Inglaterra. Desloca-se clandestinamente no camião conduzido pelo motorista tibetano da família Cardboard. Mas acaba por ser vítima de um despiste na neve ao evitar um vulto parecido com o Yéti que surge no caminho. É recolhido pelos residentes de um mosteiro tibetano onde faz amizade com Chogyam e Namgyal e descobre outra filosofia de vida. A insaciável curiosidade de “Porridge” vai levá-lo até Lhal, uma jovem guardiã do Buda Azul.

 

O Buda Azul – Tomo 2

 

O ataque e destruição do mosteiro tibetano pelas tropas chinesas separam Gifford e Lahl, quinta reencarnação de um mestre tibetano e guardiã do fabuloso e mítico Buda Azul. Nos 13 anos seguintes o jovem inglês procura incansavelmente a sua amada, que parece ter desaparecido sem deixar rasto. Entretanto, os dirigentes comunistas chineses decidem preparar o aparecimento público de uma falsa Lahl, industriada para servir os seus propósitos. Isso atrai a atenção do herói e o reencontro de ambos está prestes a realizar-se...

 

COSEY

 Imagem

 
Bernard Cosendai
Argumentista, Desenhador
(Suiça) Lausanne, 14 de Julho de 1950

 

Bernard Cosendai, mais conhecido como Cosey, trabalha numa agência de publicidade antes de ingressar na BD em 1969, tendo como professor o seu vizinho DeribCosey publica o repórter Paul Aroid  no diário suíço 24 Heures e junta-se ao escritor André-Paul Duchateau para fazer três episódios de Monfreid et Tilbury no Le Soir Jeunesse.
Em 1974, publica o seu primeiro álbum, chamado Un Shampooing Pour la Couronne (texto de Jacques Ralf). Em 1975, cria a sua série de grande sucesso, Jonathan, para a revista Tintin. A série Jonathan vence vários prémios, incluindo o Grand Prix de Saint-Michel e um Alfred no Festival de Angoulême.
Na segunda etapa de sua carreira, Cosey concentra-se mais em one-shots. O seu primeiro foi o díptico À procura de Peter Pan, publicado por Lombard em 1984 e 1985. Cria várias graphic novels para a colecção de Aire Libre da Dupuis, como Viagem em Itália (1988), Orchidea (1990), Saigon-Hanoi (1992), Joyeux Noël, May! (1995), Zeke Raconte des Histoires (1999), Une maison de Frank L. Wright (2003) e O Buda Azul (2005-06). Além disso, produz L'Enfant Bouddha a partir de um argumento de Jacques Salomé (1993), bem como Zélie, Nord-Sud na coleção Signe de Lombard (1994) e Echo para a editora Daniel Maghen (2007). Cosey regressa ao seu Jonathan em 1997.

( imagens e textos de http://bedetecaportugal.weebly.com/)

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 09:51

link do post | comentar | favorito
Sábado, 22 de Agosto de 2020

As Aventuras de Max Fridman - Rapsódia Húngara - Vittorio Giardino

Coleção Os Incontornáveis da Banda Desenhada 

Publicação ASA e Público, 2011

 

Max Fridman, a obra mais prestigiada de Vittorio Giardino, é uma série de espionagem, ambientada em 1938, na Europa já a um passo da guerra.
Antigo espião francês, reformado e a viver na Suíça com a filha, Max é chantageado pelos dirigentes da contraespionagem de Paris e obrigado a voltar ao activo por uma missão, em Budapeste, onde a rede francesa (Rapsódia) está a ser aniquilada.
Esse é o ponto de partida para o primeiro episódio da série, “Rapsódia Húngara”, onde a disputa é intensa entre os franceses e os alemães nazis da Abwehr e os russos soviéticos da NKVD.
Pouco se sabe do passado de Max, um quarentão de barba ruiva, divorciado, a não ser que já esteve na Catalunha, fica nervoso com as armas de fogo, dificilmente é seduzido por mulheres mas é facilmente derrubado a soco. O apelido não engana, é judeu.
O primeiro episódio da série passa-se quase todo em Budapeste, mas também nas ilhas gregas, nos meses de Fevereiro e Março de 1938 e termina com o Anschluss, a anexação nazi da Áustria.
Ainda em 1938, Max Fridman vai estar em Istambul (“La Porta d’Oriente”) e na Catalunha (“No Pasaran”), nos outros dois títulos da série, inéditos em português.
Não tiverem a mesma receção que “Rapsódia Húngara”, lançada em 1982 na revista italiana Orient Express e que elevou Giardino ao estatuto de grande autor de BD.
Pela introdução que Giardino escreveu para a obra, fica-se a saber que tudo começou com a passagem do autor por Budapeste, em 1972, e com a intensa paixão pela cidade.
“Este é o lugar por onde começar, não pode ser outro. E a história chamar-se-á Rapsódia Húngara”, escreveu Giardino, que já tinha definido a época histórica, o período imediatamente anterior à II Guerra Mundial.
Budapeste era, então, um intenso entreposto de espionagem, onde se cruzavam todas as grandes potências da altura. Numa Europa onde o nazismo e o fascismo avançavam, a Hungria tentava manter algum equilíbrio democrático, sob a regência do almirante Horty.
Minucioso e elegante no desenho, Giardino é brilhante na reconstituição da Budapeste dos anos 30, o que logo se percebe com a primeira vinheta, uma magnífica representação da ponte Erzsebét, entre as margens de Buda e Peste.
O traço realista de Giardino, que virá a ser excecional em obras mais recentes (Little Ego ou Jonas Fink, por exemplo), é próximo da Linha Clara realista belga e por vezes, no arranque de Max Fridman, recorda Tardi.
A série destaca-se também pela elaboração do argumento, a um nível romanesco que é digno dos enredos de espionagem de Graham Greene. Sempre com uma visão social muito forte, refletindo os anos de militância comunista do jovem Vittorio Giardino.
Em Portugal, Max Fridman foi editado no Jornal da BD, em 1987. “Rapsódia Húngara” foi dividido em duas partes, ocupando os números 243 e 247. Mais tarde, as 90 páginas saíram em álbum único, em 2011, o #8 da colecção Os Incontornáveis da BD, edição ASA/Público.

 

Vittorio Giardino

Desenhador, Argumentista (Itália) Bolonha, 24 de Dezembro de 1946

Imagem

Giardino, engenheiro electrónico de formação, inicia a sua carreira na BD em 1978. Os seus primeiros trabalhos aparecem na revista La Città Futura. No ano seguinte, estreia a série do detective Sam Pezzo. Em 1982, nasce a personagem Max Fridmanno Orient-Express. Um ano mais tarde, para o Glamour International e para o Comic Art, desenha histórias curtas de Little Ego, versão feminina e erótica do pequeno sonhador idealizado por Winson McCay. Em 1993, estreia a série Jonas Fink para o jornal Il Griffo, uma série que decorre durante o período difícil do regime comunista da ex-Checoslováquia. Em 1996, adapta o romance de Dino Buzzati, Veston ensorcelé. Em 2001, a Casterman edita um conjunto de histórias curtas num álbum intitulado Férias Fatais. Dois anos, propõe-nos, em conjunto com Giovanni Barbieri, a obra Eva Miranda.

 

(http://bedetecaportugal.weebly.com/max-fridman.html)

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 17:26

link do post | comentar | favorito

O Gato do Rabino - Joann Sfar

 

Coleção Os Incontornáveis da Banda Desenhada 

Publicação ASA e Público, 2011

Este álbum reúne os três primeiros álbuns da série O Gato do Rabino: O Bar-Mitzvá, O Malka dos Leõers e O Êxodo.

 

Resumo
No início do século XX, o gato de um rabino de Argel relata sua vida, dialogando com o seu mestre. Na verdade, este gato só fala porque comeu o papagaio da casa e tende a dizer o que pensa, sem inibição. O gato questiona tudo, especialmente, o rabino e os próprios fundamentos do judaísmo. Temendo a má influência que o seu gato falante pode ter sobre sua filha Zlabya, o rabino decide ensinar-lhe o Torah, o Talmud, a Mishna e o Guemara para colocá-lo no caminho certo.

 

Joann Sfar

 Imagem

 
Argumentista, Desenhador
(França) Nice, 28 de Agosto de 1971
 
Joann Sfar nasceu em Nice em 1971, filho de mãe cantora e pai advogado. Foi educado segundo as culturas judia ashkenaze e sefardita, aprenda hebraico e os princípios da Torá, mas também frequenta a escola pública francesa. Sfar, cujo apelido vem precisamente de sofer, «escrivão» em hebraico, depressa começa a inventar e desenhar histórias com a abundância que ainda hoje o caracteriza. A partir dos quinze anos começa a enviar mensalmente um novo projeto de banda desenhada a diferentes editores, trabalhos esses rejeitados com a mesma regularidade. Mais tarde, conhece Fred, Baudoin e Pierre Dubois, que se tornam nos seus verdadeiros pais espirituais. Depois de um doutoramento em Filosofia na Universidad de Nice, estuda Belas Artes em Paris e apaixona-se pelos cursos de Morfologia. Em 1993, cruza a porta do atelier Nawak, o futuro atelier Des Vosges, onde conhece Lewis Trondheim, David B., Jean-Christophe Menu, Emmanuel Guibert, Christophe Blain, Émile Bravo e Marjane Satrapi. Num belo mês de 1994, três editores diferentes propõem-lhe editar o seu trabalho. O seu primeiro livro, NOYÉ LE POISSON, é publicado nesse mesmo ano por L’Association. Depois, a um ritmo aparentemente desordenado, Joann Sfar compõe obras de uma originalidade absoluta. A profundidade das suas histórias nunca exclui a diversão nem a sensualidade. Os seus personagens têm a mesma truculência que os de Albert Cohen. E o prazer de desenhar é nele tão comunicativo como em Quentin Blake. Graças a autores como Sfar, a banda desenhada eleva-se a um novo patamar.
Assinou já mais de cem obras de Banda Desenhada. Igualmente cineasta, é o autor de “Gainsbourg – Vida Heroica”, tendo também corealizado o filme de animação baseado na BD “O Gato do Rabino”.
 

http://bedetecaportugal.weebly.com/gato-do-rabino.html).

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 13:31

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 21 de Agosto de 2020

Para lá de Bagdad - Alberto S. Santos

Para lá de Bagdad

A 21 de junho de 921, Ahmad ibn Fadlan, emissário do califa, parte de Bagdad para uma arriscada missão na Bulgária do Volga, na Rússia atual. Para trás, deixa os mestres e companheiros da Casa da Sabedoria, que ergueram a época dourada do Islão.

Os perigos que encontra ao longo do caminho levam Ahmad a alterar o rumo da viagem e a dirigir-se para as terras nórdicas do sol da meia-noite. Ao longo da jornada, vive um amor proibido com Zobaida, a bela escrava do tio, que o faz repensar toda a sua existência.

Por entre climas adversos, costumes bárbaros de povos não civilizados e inesperados jogos de poder, o emissário do califa descobre um desconcertante mundo novo. Ao mesmo tempo, em Bagdad, assiste-se ao início de uma nova era: os sábios são perseguidos e os livros queimados na praça.

 

Alberto S. Santos

Alberto S. Santos é formado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa. É natural de Paço de Sousa, Penafiel, onde reside. Publicou os bestsellers A Escrava de Córdova (2008), A Profecia de Istambul (2010), O Segredo de Compostela (2013) e Para lá de Bagdad (2016). Participa também na Coletânea de Contos de autores lusófonos Roça Língua (2014).

imagens e textos de: https://www.portoeditora.pt/especiais/para-la-de-bagdad

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 10:45

link do post | comentar | favorito
Domingo, 9 de Agosto de 2020

Encontro com o Destino - Lesley Pearse

Resumo- 

Camellia Norton perdeu o pai quando era apenas uma criança. Depois disso, não pensou que a tragédia voltasse a bater-lhe à porta tão cedo. Mas aos 15 anos o seu destino sofre nova reviravolta quando a mãe é encontrada morta, vítima de um aparente suicídio. É então que Camellia entra finalmente no quarto da mãe, uma divisão da casa que lhe estivera proibida desde sempre. E o que a jovem encontra é devastador. É a derradeira prova de que a sua vida até então não passa de uma mentira.

De coração partido, decide partir para Londres, uma metrópole vibrante e plena de oportunidades, mas ao mesmo tempo um antro sombrio de tentações e perigos – em especial para uma jovem inocente em busca de aceitação e amor. São negros os tempos que se seguem… mas a sua coragem nunca esmorece.

Camellia dá então início ao longo percurso que irá revelar toda a verdade sobre o seu passado… e sobre o mais íntimo de si própria. Em Encontro com o Destino, Lesley Pearse fala-nos de fragilidade, perda e más escolhas, mas também de compaixão e perdão – e relembra-nos que o amor é a única força capaz de tudo ultrapassar.  Encontro com o Destino é a continuação da história de Ellie e Bonny, as inesquecíveis protagonistas de Até Sempre, Meu Amor.

(imagem e texto de fnac.pt)

 

Fantástico! Adorei!

São 732 páginas sobre fragilidade humana, perda daqueles que amamos, más escolhas da juventude, superação de dificuldades, sentimentos de perdão e amor.

Completamente rendida ao talento de escritora de Lesley Pearse.

Cada novo romance seu que leio passa a ser para mim o melhor! 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 19:41

link do post | comentar | favorito
Domingo, 2 de Agosto de 2020

D. Manuel I – Duas Irmãs para um Rei - Isabel Stilwell

Resumo- "Uma história fascinante de um homem que não nasceu para ser rei, que chegou ao trono depois de ver morrer o sobrinho e ver assassinar o irmão e o cunhado. Isabel, viúva de Afonso, filho de D. João II, resistiu ao casamento. Mas Manuel era determinado. Desde aquele dia em que os seus olhares se cruzaram em Moura, sabia que Isabel havia de ser sua. Por ela faria tudo, inclusive expulsar os hereges de Portugal, e depois os judeus. Mas mais uma vez a roda da fortuna girava e a sua felicidade durou pouco. Isabel morria no parto, e o seu único filho não sobreviveria. Era preciso garantir a descendência. Maria, irmã de Isabel, esperara, apaixonada, e o seu tempo tinha chegado. Seria rainha de Portugal e mãe de dez filhos, entre eles seis varões.

Um dos reis mais importantes da nossa História, construtor do império global português, numa época fascinante dos Descobrimentos, em que Lisboa se enche de espiões e especiarias."

 

Isabel Stilwell

Isabel Stilwell é jornalista e escritora. A sua grande paixão por romances históricos revelou-se em 2007, com o bestseller D. Filipa de Lencastre, a que se seguiram D. Catarina de Bragança, ambos traduzidos para inglês, e D. Amélia, sempre com crescente sucesso. Em abril de 2012, foi a vez de publicar D. Maria II, que mereceu uma edição especial para o mercado brasileiro. Em outubro de 2013 lançou Ínclita Geração – Isabel de Borgonha, em 2015, a história da mãe do primeiro rei de Portugal, D. Teresa e em 2017 um romance sobre a vida da Rainha Santa, Isabel de Aragão, eleito o 2º melhor livro de ficção, no Prémio Livro do Ano Bertrand.
Desde o Diário de Notícias, onde começou aos 21 anos, que contribui de forma essencial para o jornalismo português. Fundou e dirigiu a revista Pais & Filhos, foi diretora da revista Notícias Magazine durante 13 anos e diretora do jornal Destak até ao final do ano de 2012, entre muitos outros projetos. Atualmente escreve para a revista Máxima, tendo uma das suas peças sobre a adoção em Portugal («Não amam nem deixam amar», em conjunto com a jornalista Carla Marina Mendes) sido distinguida com o 1º Prémio de Jornalismo «Os Direitos da Criança em Notícia». Continua a colaborar mensalmente com a revista Pais e com o Jornal de Negócios, quando não está a escrever, vira diariamente os «Dias do Avesso» em conversa com Eduardo Sá, na Antena 1.

(fotos e textos de fnac.pt)

 

Sempre adorei a disciplina de História de Portugal e, no momento de escolher uma área a seguir, hesitei bastante perante a perspetiva de deixar de estudar a discilina. Nunca tive muito tempo para me dedicar a estudar algumas das figuras da nossa História pelas quais me apaixonei na minha infância e adolescência, principalmente devido às conversas com os meus pais, ambos amantes de História de Portugal. Decidi que um dia mais tarde me dedicaria a aprofundar o estudo de algumas das nossas personagens históricas.

Os romances de Isabel Stilwell vieram ao encontro desse meu "sonho". Fiquei fã incondicional desde o primeiro romance editado, D.Filipa de Lencastre, a rainha que sempre me cativou, a mãe da Inclita geração, pela qual sempre senti um enorme fascínio. Todos os romances têm focado mulheres notáveis. D.Manuel foi o rei cuja obra mais admiro. Mais uma vez, a escritora foi ao encontro dos meus pensamentos. Li este romance numa semana (de trabalho) e confesso que não fiquei nada desiludida perante os anteriores. Está excecional!

 

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 14:42

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 28 de Julho de 2020

O Rapaz Milionário - David Walliams

Sinopse - O Joe tem vários motivos para ser feliz. Milhões deles, até.

É que o Joe é muito, muito rico… Mas mesmo muito rico. Tem uma pista de Fórmula 1, um cinema em casa e um orangotango como mordomo! É o rapaz de 12 anos mais rico do país.

Sim, o Joe tem tudo com que sempre sonhou. Exceto uma coisa… Um amigo.
 
 

David Walliams

David Walliams nasceu em Inglaterra em 1971, e é um ator britânico de comédia, conhecido pela parceria com Matt Lucas, na série Little Britain, e pelas intervenções hilariantes no conhecido programa Britain's Got Talent. Em 2008, tomou o mundo da literatura infantil de assalto e é, atualmente, o autor de crescimento mais exponencial no Reino Unido. Os livros de David Walliams estão traduzidos em 53 línguas, venderam mais de 33 milhões de exemplares em todo o mundo, e obtiveram um impacto sem precedentes na crítica, que o compara a um dos mais emblemáticos autores de sempre no género, Roald Dahl.

(textos e imagens de portoeditora.pt)

 

Um livro interessante cuja leitura recomendo a todos os pais e professores. Uma história que nos faz pensar sobre a importância de transmitir valores corretos às nossas crianças, nomeadamente o valor do dinheiro e da amizade.

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 12:36

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Julho de 2020

Jonathan - Cosey

Clássicos da Revista Tintim - Editora Asa Público - 2009

 

Jonathan - Cosey 2 Histórias completas:

- O Sabor do Songrong

- Ela ou Dez Mil Pirilampos

 

A série de banda desenhada Jonathan de Cosey foi iniciada em 1975 na revista belga Tintin, revista onde até 1982 seriam editadas as primeiras nove aventuras. A edição em álbum foi-se dando paralelamente pela Le Lombard, desde 1977. Até ao momento foram editados 16 álbuns, o último dos quais em 2013.

( texto de https://bandasdesenhadas.com/)

 

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 18:27

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Julho de 2020

Titeuf - Desenho e texto de Zep

Colecção Grandes Autores da Banda Desenhada 

- Editora Asa Público - 2008

 

Titeuf - inclui 2 álbuns:

- As Miúdas Ficam Banzadas..., Primeira publicação: 1994, em álbum
- N' é Nada Justo ..., Primeira publicação: 1995, em álbum

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 16:13

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Julho de 2020

Spaghetti - René Goscinny (argumentista) e Dino Attanasio (desenhador)

Spaghetti fez a sua estreia em Portugal em 1965, na revista Zorro #157.

Regressaria quatro anos depois, na revista Tintin, onde foi presença regular ao longo dos anos.

A divertida criação de Attanasio e Goscinny protagonizou um álbum da colecção “Clássicos da Revista Tintin”, lançada pela ASA juntamente com o jornal Público em 2009, contendo três aventuras: “Spaghetti e os quadros a óleo” (Primeira publicação na revista Tintin, edição belga, entre 11 de agosto e 17 de novembro de 1960 (nºs 32 a 46, 15ºano), “Encontro de ciclistas” (Primeira publicação na revista Tintin, edição belga, entre 4 de julho e 10 de outubro de 1961 (nºs 27 a 41, 16ºano), e “Spaghetti em Paris” (Primeira publicação na revista Tintin, edição belga, entre 28 de agosto e 4 de dezembro de 1962 (nºs 35 a 49, 17ºano).

 

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 19:15

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Bem vindos ao meu blog!!!

.pesquisar

 

.Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. História de Oliveira do H...

. Vidas Adiadas - Dorothy K...

. Clorofila - Raymond Mache...

. Imortal - José Rodrigues ...

. Valérian e Laureline - Pi...

.arquivos

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.Tags

. todas as tags

.links

.Visitas a partir de 28-Dezembro-2009

provided by Inteliture.com
Inteliture.com

.professora

.Selinhos recebidos

.Velas acesas, uma por cada um dos membros da minha família, pela paz, e para que se acabem todos os tipos de maus tratos no Mundo!!

.As minhas afilhadas de blog: - Nélia - Arte das Manas / - Teresa - Artxike

blog da Nélia
blog da Teresa

.Leilão Forumeiros

Leilão Forumeiros
blogs SAPO

.subscrever feeds