Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2020

Lembranças de Natal III

As  bolas de Natal em patchwork são viciantes!

Este Natal realizei algumas para oferecer ...

aos meus amigos Teresa e Lino...

para a minha cunhada Teresinha...

para a minha cunhada Teresa...

para a minha comadre Cristina...

para a D.Júlia...

para a D. Lília...

para a minha comadre Teresa...

para a minha comadre Brígida...

e para uma amiga da Ana...

 

publicado por Adelaide Pereira às 10:05

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 29 de Dezembro de 2020

Lembranças de Natal II

Como já é habitual, realizei algumas lembranças para os familiares e amigos que apreciam os meus trabalhos manuais.

Fiz alguns presépios em feltro para colocar na Árvore de Natal familiar dos nossos amigos...

... Edmundo e São 

... Cristina

... Margarida e Miguel

... Isabel e Alexandre

... Zá e Armando

... São

... Alexandra e Edgar

... Ana e Paulo

... Aurora

... Carlos e Ana

... Vina

publicado por Adelaide Pereira às 11:16

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2020

Feliz Natal!

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
João 3:16
 

IMG_7584.JPG

 

publicado por Adelaide Pereira às 12:43

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Dezembro de 2020

História de um caracol que descobriu a importância da lentidão - Luis Sepúlveda

Sinopse - Plano Nacional de Leitura

Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com a Educação para a Cidadania nos 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.

Os caracóis que vivem no prado chamado País do Dente-de-Leão, sob a frondosa planta do calicanto, estão habituados a um estilo de vida pachorrento e silencioso, escondidos do olhar ávido dos outros animais, e a chamar uns aos outros simplesmente «caracol». Um deles, no entanto, acha injusto não ter um nome e fica especialmente interessado em conhecer os motivos da lentidão. Por isso, e apesar da reprovação dos outros caracóis, embarca numa viagem que o vai levar ao encontro de uma coruja melancólica e de uma tartaruga sábia, que o guiam na compreensão do valor da memória e da verdadeira natureza da coragem, e o ajudam a orientar os seus companheiros numa aventura ousada rumo à liberdade.
 

LUIS SEPÚLVEDA

 
Foi a 4 de outubro de 1949, na localidade chilena de Ovalle, a mais de 300 km a norte da capital, Santiago, que nasceu Luis Sepúlveda. Filho de um militante do Partido Comunista e proprietário de um restaurante, e de uma enfermeira de origens mapuche (um povo indígena da região centro-sul do Chile e do sudoeste da Argentina), Luis Sepúlveda cresceu no bairro San Miguel de Santiago e estudou no Instituto Nacional, onde começou a escrever por influência de uma professora de História.
Aos 15 anos ingressou na Juventude Comunista do Chile, da qual foi expulso em 1968. Depois disso, militou no Exército de Libertação Nacional do Partido Socialista. Após os estudos secundários, ingressou na Escola de Teatro da Universidade de Chile, da qual chegou a ser diretor. Anos mais tarde, licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha.
Da sua vasta obra – toda ela traduzida em Portugal –, destacam-se os romances O Velho que Lia Romances de Amor e História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar. Mas todos os seus livros conquistaram em todo o mundo a admiração de milhões de leitores.
Em 2016, recebeu o Prémio Eduardo Lourenço – que visa galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cooperação e da cultura ibérica –, uma honra de definiu como «uma emoção muito especial».
Para além de romancista, foi realizador, roteirista, jornalista e ativista político. Em 1970 venceu o Prémio Casa das Américas pelo seu primeiro livro, Crónicas de Pedro Nadie, e também uma bolsa de estudo de cinco anos na Universidade Lomonosov de Moscovo. No entanto, só ficaria cinco meses na capital soviética, uma vez que foi expulso da universidade por “atentado à moral proletária”. Membro ativo da Unidade Popular chilena nos anos 70, teve de abandonar o país após o golpe militar de Augusto Pinochet. Viajou e trabalhou no Brasil, Uruguai, Bolívia, Paraguai e Peru. Viveu no Equador entre os índios Shuar, participando numa missão de estudo da UNESCO. Em 1979 alistou-se nas fileiras sandinistas, na Brigada Internacional Simon Bolívar, que lutava contra a ditadura de Anastácio Somoza. Depois da vitória da revolução sandinista, trabalhou como repórter.
Em 1982 rumou a Hamburgo, movido pela sua paixão pela literatura alemã. Nos 14 anos em que lá viveu, alinhou no movimento ecologista e, enquanto correspondente da Greenpeace, atravessou os mares do mundo, entre 1983 e 1988. Em 1997, instalou-se em Gijón, em Espanha, na companhia da mulher, a poetisa Carmen Yáñez. Nesta cidade fundou e dirigiu o Salão do Livro Ibero-americano, destinado a promover o encontro de escritores, editores e livreiros latino-americanos com os seus homólogos europeus.
Luís Sepúlveda vendeu mais de 18 milhões de exemplares em todo o mundo e as suas obras estão traduzidas em mais de 60 idiomas. Em Portugal, era presença assídua na Feira do Livro de Lisboa, em sessões de autógrafos onde era bem visível o carinho do público português pelos seus romances, e esteve presente em quase todas as 21 edições do Festival Correntes d’Escritas, na Póvoa do Varzim, a última das quais entre 18 e 23 de fevereiro de 2020.
A 29 de fevereiro de 2020, Luis Sepúlveda foi diagnosticado com Covid-19, naquele que seria o primeiro caso de infeção nas Astúrias, e consequentemente internado no Hospital Universitário Central de Astúrias, onde veio a falecer a 16 de abril.
 
 
(imagens e textos de portoeditora.pt)
 
 
Uma história amorosa de um caracol curioso que parte à procura de um nome e da razão da sua lentidão e encontra nessa viagem o sentido da existência
 
 
Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 17:56

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2020

Um Gato, um Chapéu e um Pedaço de Cordel - Joanne Harris

 

«As histórias são como bonecas russas: abrem-se e em cada uma encontra-se uma nova. As histórias neste livro são um pouco assim. Embora ao princípio não pareçam estar relacionadas, os leitores descobrirão que elas estão ligadas de várias maneiras, umas com as outras e também com os meus romances. Para mim, as histórias são como mapas de mundos ainda por descobrir. Espero que estas vos levem a avançar um pouco mais por esse território inexplorado.»
Joanne Harris

 

Resumo- Crianças de vida difícil e coração vibrante, fantasmas domésticos, velhas senhoras em busca de aventura, uma paixão impossível sob os céus de Nova Iorque, a improvável magia de uma sanduíche, as extravagâncias a que a saudade obriga…
O universo romântico, místico e sempre especial de Joanne Harris está de volta em dezasseis histórias que são como bombons: deliciosas, tentadoras e irresistíveis.

(imagem e textos fnac.pt)

 

Comprei este livro para oferecer como lembrança de Natal e decidi ler para matar saudades de Joanne Harris.

Até hoje, nenhuma das suas obras me encantou como "Chocolate"! 

Algumas das histórias até são interessantes mas a maioria não me cativou.

Esta faceta de Joanne Harris não me agrada muito...

Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 19:40

link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Dezembro de 2020

Dia Internacional da Solidariedade Humana - 20 de Dezembro

20 de Dezembro - Dia Internacional da Solidariedade Humana

 

O Dia Internacional da Solidariedade Humana foi estabelecido sob a influência da Declaração do Milénio das Nações Unidas, que determina os direitos civis e políticos de um indivíduo na era moderna, estabelecendo as relações exteriores entre os Estados membros e a ONU. A Assembleia Geral de 22 de dezembro de 2005 reconheceu a solidariedade como um dos valores fundamentais e universais e proclamou o Dia Internacional da Solidariedade Humana. O IHSD é realizado todos os anos a 20 de dezembro para promover a importância da cultura de solidariedade para combater a pobreza e para encorajar governos, ONGs e quase todos os indivíduos a organizar programas e debates a nível nacional ou internacional para que a pobreza possa ser reduzida através da divulgação da consciência . Um indivíduo pode participar ou celebrar o dia contribuindo para a educação ou ajudando os pobres. Este dia também é comemorado por ajudar pessoas com deficiência social ou mental . No entanto, espera-se que os governos respondam à pobreza e outras barreiras na sociedade por meio de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável , concebidos para facilitar um bom futuro para todos. 

De acordo com as Nações Unidas , o Dia Internacional da Solidariedade Humana é:

  • um dia para celebrar a nossa unidade na diversidade;
  • um dia para lembrar aos governos de respeitar seus os compromissos com os acordos internacionais;
  • um dia de sensibilização do público para a importância da solidariedade;
  • um dia para incentivar o debate sobre as formas de promover a solidariedade para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, incluindo a erradicação da pobreza;
  • um dia de ação para estimular novas iniciativas de erradicação da pobreza.

( wikipedia.org)

 

 

 
publicado por Adelaide Pereira às 14:43

link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Dezembro de 2020

Quando poderemos dizer que é Natal?

Quando poderemos dizer que é Natal?
 
 
«Quando poderemos dizer que é Natal? Quando os preparativos todos se avizinharem do fim, segundo o mapa que nós próprios estabelecemos, ou quando nos acharmos pequenos e impreparados, à espera do que chegar? Quando, seguras de si, as mãos se fecharem sobre tarefas e embrulhos, ou quando se declararem simplesmente disponíveis para a reinvenção da partilha e do dom? Quando poderemos dizer que é Natal? Quando os símbolos nos saciarem com o seu tilintar encantado, ou quando aceitarmos que tão só eles ampliem o tamanho da nossa sede? Quando nos satisfizer o vento que sopra de feição, ou quando avançarmos entre contrários provados pela aspereza e pelo silêncio, unicamente movidos por uma confiança maior? Quando poderemos dizer que é Natal?»
 
D. Tolentino Mendonça
 
131998339_212037730400897_7529020694085496489_n.jp

 

publicado por Adelaide Pereira às 22:10

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2020

A Sereia de Brighton - Dorothy Koomson

 SINOPSE - Praia de Brighton, 1993 - As adolescentes Nell e Jude descobrem o corpo de uma jovem na praia e, quando ninguém o reclama, a vítima passa a ser conhecida como A Sereia de Brighton. Três semanas mais tarde, Jude desaparece e Nell, ainda chocada com os acontecimentos na praia, fica completamente desamparada.
Passados 25 anos, Nell vive atormentada pelo passado, abandonando o emprego para descobrir a verdadeira identidade da jovem assassinada - e o que aconteceu à amiga naquele verão inesquecível.
Quanto mais perto fica da verdade, maior é o perigo. Alguém parece estar a seguir cada passo de Nell, que já não sabe em quem confiar.
 
imagem e texto:
 
Excelente! Adorei!
Tags:
publicado por Adelaide Pereira às 15:46

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Dezembro de 2020

Os símbolos do Natal!

Decidi partilhar esta publicação no facebook de Mala d'estórias.
É interessante conhecermos o significado dos símbolos que usamos associados ao Natal. 
 
Os dez símbolos do Natal:
 
PRESÉPIO
O presépio é o único símbolo natalício baseado puramente nos Evangelhos. De tradição cristã, ele é a reprodução do cenário onde Jesus Cristo nasceu. Manjedoura, animais, pastores, os três reis magos, Maria e José acolhem o bebé numa cabana de madeira, em Belém.
O hábito de montar presépios surgiu na Itália, onde o artesanato, simbolizando a vinda do filho de Maria ao mundo, caiu no gosto popular.
 
ESTRELA
Uma estrela guiou os três reis magos até o local do nascimento de Jesus, por isso ela é usada como enfeite natalício, e simboliza a estrela-guia para o filho de Deus
Presente na história bíblica, a estrela guiou os três reis magos até o local do nascimento de Jesus. Usada como enfeite, em especial no topo da árvore de Natal, simboliza o filho de Deus, que é a estrela-guia, o caminho e o sentido da humanidade. Também são lembradas na árvore de Natal as outras estrelas que estavam no céu, na noite em que Jesus nasceu.
 
PINHEIRO
Os pinheiros são as únicas árvores que mantêm suas folhas mesmo no inverno. Vivo e verde o ano inteiro, representa no Natal a esperança, a alegria e a mudança. Quanto ao costume de colocar os presentes natalícios debaixo da árvore enfeitada, foi no palácio da Rainha Elizabeth I, em ocasião natalícia, que tudo começou. Sem poder receber pessoalmente todos os presentes que lhe eram entregues, a inglesa pediu para que fossem depositados debaixo de uma grande árvore de seu jardim.
 
COROA DO ADVENTO
A Coroa de Avento consiste em um círculo envolto em ramos verdes que sustenta quatro velas, que podem ser vermelhas ou multicoloridas. Nas quatro semanas que precedem o Natal, o objeto fica exposto nas igrejas católicas em pontos de destaque. Em conjunto, simbolizam a espera pela vinda do Senhor, sendo que os ramos são a eternidade de Deus e cada vela é um voto específico para os fiéis, enquanto sua luz é a afirmação de que o Evangelho brilha na vida de quem serve a Cristo.
 
GUIRLANDA
Para decorar as ruas da Inglaterra, eram usadas flores da espécie sempre-vivas, que receberam significado maior na Alemanha, quando passaram a ser arrumadas em círculo para simbolizar o amor sem fim de Deus. Quando presente, a fita vermelha decorando as folhas verdes de pinheiro representa a proteção divina, tornando o enfeite ideal para ser pendurado nas portas dos lares.
 
POSTAL DE NATAL
A troca de postais é uma forma de confraternização natalina bastante usada no mundo.
O pintor inglês John Callcott Horsley foi responsável pelo primeiro postal de Natal da história. A pedido de Sir Henry Cole, que tinha o hábito de mandar cartas para seus familiares e amigos na época natalícia, John produziu cartões com a mesma mensagem, que foram enviados aos próximos do cliente por estar ocupado demais para escrever.
 
BOLAS DE NATAL
As bolas colocadas nos pinheiros de Natal representam os frutos da vida humana e seus desejos, tais como amor, esperança, perdão e alegria.
As coloridas bolas de Natal, colocadas nas pontas dos galhos dos pinheiros ou árvores artificiais, representam os frutos da vida humana e seus desejos, tais como amor, esperança, perdão e alegria. De formas e tamanhos diferentes, os enfeites também representam os gestos concretos de amor entre irmãos da Terra.
 
SINOS
O badalar do sino representa a anunciação do nascimento de Jesus Cristo.
O instrumento de anunciação das festas populares era principalmente usado no Natal, onde ganhou a adaptação simbólica de que seu badalar informa o nascimento de Jesus Cristo. Presente nas decorações natalícias como enfeite de porta ou para pendurar na árvore de Natal, o objeto ainda é protagonista de algumas cantigas, como "Bate o Sino".
 
CEIA
A fartura da ceia é uma alusão à fome que as sociedades antigas passavam.
Com o intuito de unir as pessoas para festejar a vinda de Cristo ao mundo, a fartura da ceia é uma alusão à fome que as sociedades antigas passavam. Para simbolizar o corpo do filho de Deus, a carne (peru, ganso ou peixe) é posta na mesa. "Amai-vos uns aos outros" é o principal lema da ceia de Natal, onde também não podem faltar bolos e frutas para o agrado das famílias.
 
CANÇÕES
As canções ou cantigas natalícias fazem parte de antigas tradições que foram difundidas entre países cristãos. O sentido das cantaroladas, muitas vezes acompanhadas de instrumentos, é reforçar os valores cristãos, com muita alegria e amor ao próximo. Uma das músicas mais conhecidas no mundo é "Noite Feliz".
 
(https://www.facebook.com/leiturasencenadas)
 

20191224_101259.jpg

 

publicado por Adelaide Pereira às 13:51

link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Dezembro de 2020

Festa de Natal virtual!

A Pandemia Covid-19 também teve aspetos muito positivos!!!

Permitiu-nos descobrir as enormes potencialidades de utilização das novas tecnologias de informação e comunicação, a nossa capacidade e resiliência para enfrentar e ultrapassar as situações com que nos deparamos, a possibilidade de reorganizarmos totalmente as nossas atividades diárias e a nossa forma de vida, a existência dentro de cada um de nós de forças e energias que desconheciamos possuir, ... e, sobretudo, a enorme necessidade do ser humano de se relacionar com os outros.

O homem não foi criado para viver sozinho! Sem os outros não somos nada!

Durante os meses de confinamento, a prof. Cristina Castro, professora da Uniati, continuou as suas aulas de Chi Kung, Tai Chi Chuan e Meditação, via facebook, com a mesma simpatia, paciência e empenhamento que sempre demonstrou nas aulas presenciais.

Hoje tivemos o nosso momento virtual de festa de Natal, aula, reunião, ... via Zoom.

Foi um momento de convívio muito agradável.

Obrigada Prof. Cristina Castro!

Feliz Natal para todos!

Sem Título.png

 

publicado por Adelaide Pereira às 18:55

link do post | comentar | favorito

Lembranças de Natal I

Nesta fase do ano letivo, o cansaço acumulado e a vontade de não me deixar vencer pelas dores musculares, enxaquecas, trabalhos para avaliar, inúmeras tarefas escolares (a maioria burocráticas...) urgentes a realizar, ... são combatidos e enfrentados pelo prazer de aproveitar todos os momentos livres na preparação de algumas lembranças para oferecer aos amigos e familiares e de viver a época do ano que mais amo, o Natal. 

O filhote foi o primeiro a receber os nossos votos de um Feliz Natal...

Um postal pintado por mim e um presépio para lhe lembrar que estamos contando os minutos, pois só quando ele chegar o nosso Natal será total.

IMG_6934.JPG

IMG_6936_pedro.JPG

IMG_6937.JPG

 

publicado por Adelaide Pereira às 11:10

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020

"Natal de partilha"

Partilho com todos o poema que recebi hoje de Maria Maya, Presidente da "8 Séculos de Língua Portuguesa -Associação", com os votos de um Feliz Natal.

 

Natal de partilha
neste Natal
muitos de nós
estaremos sós
sem os que mais amamos
sem a partilha
dos abraços
dos presentes
da consoada
dos sonhos
dos hinos de louvor
dói-nos a solidão
mas não é
o deserto
quando o visível
não está perto
conseguimos ver melhor o invisível
podemos partilhar
a mensagem
dar a mão
a quem vive na fome
e a desgraça abateu
oferecer uma oração
por todos nós
que sofremos na dor
podemos sentir
a energia partilhada
dos ausentes
a rede
de que somos
um elo
a pequenina luz bruxuleante
um pequeno cantor
no Natal
celebramos
a VIDA
o nascimento
do Menino
que vem para nos salvar
através do AMOR
Maria Maya - Dezembro 2020

 

Recebemos também hoje uma lembrança para a nossa àrvore de Natal vinda da Custódia da Terra Santa.

IMG_7179.JPG

 

publicado por Adelaide Pereira às 17:54

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Dezembro de 2020

O nosso presépio!

O nosso presépio!

20201207_211106.jpg

20201207_211236.jpg

20201207_211300.jpg

IMG_7071.JPG

IMG_7077.JPG

IMG_7082.JPG

 

publicado por Adelaide Pereira às 19:54

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2020

Cookie(s) de microondas num minuto

 

Esta manhã, ao fazer um dos meus habituais passeios pelos blogs do sapo, encontrei um blog que não conhecia e que chamou a minha atenção, O Diário da Inês.

O post mais recente da Inês apresenta uma receita intitulada Cookie de microondas num minuto.

Eu que gosto muito de bolachas, principalmente se forem simples e rápidas de realizar, não resisti ao desafio e tive que experimentar a receita para o lanche dos "três confinados", fazendo várias pequenas bolachas, em vez de uma única.

Excelentes cookies, acompanhadas de um chazinho quentinho!

Recomendo a receita! Experimentem!

20201207_170308.jpg

20201207_170230.jpg

20201207_170207.jpg

 

Cookie de microondas num minuto

Ingredientes:

  • 20 g de manteiga
  • 25 g de açúcar amarelo
  • 10 g de leite (1 colher de sopa)
  • 55 g de farinha
  • 1/8 de colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 pitada de sal
  • pepitas de chocolate ou chocolate de culinária partido aos pedaços em quantidade a gosto
 
Modo de preparação:
Numa taça que possa ir ao microondas coloque a manteiga. Leve ao microondas a derreter. 
Junte o açúcar amarelo e o leite e misture. 
Junte a farinha e misture.
Incorpore o chocolate e com as mãos forme uma bola. Coloque em cima de um quadrado de papel vegetal e espalme até ter o formato de uma bolacha.
Leve ao microondas durante 1 minuto, num máximo 1 minuto e 15 segundos. 
A bolacha quando sair do microondas vai estar muito mole, aguardar 5 minutos e comer. Nesses 5 minutos ela vai adquirir a consistência de bolacha. 
 
 
(texto da receita e foto de 
https://odaines.blogspot.com/2020/12/cookie-de-microondas-num-minuto.html)
 
 
Passem no blog O Diário da Inês. Contém muitas receitas simples de realizar e com aspeto delicioso! 

 

publicado por Adelaide Pereira às 17:26

link do post | comentar | favorito (1)
Domingo, 6 de Dezembro de 2020

Preparando o Natal...

Tempo de Advento!

Tempo de preparar o Natal e a vinda do Menino ao mundo e aos nossos corações!

Adoro a época de Natal, os presépios e as decorações e, para mim, viver plenamente o tempo de advento e o Natal implica decorar a casa para esta época.

Esta decoração natalícia não tem, para mim e para a família, uma visão consumista do Natal mas sim a ideia de algo familiar, acolhedor, que aquece o nosso coração.

A maior parte das decorações usadas foram feitas por mim ou recebidas de amigos e familiares ao longo dos anos e, portanto, muito mais do que o valor monetário e o aspeto festivo, todas carregam uma enorme carga emocional e afetiva, e usá-las nesta época traz à nossa memória as pessoas com quem estão relacionadas.

Os dias começaram a arrefecer e o ambiente assemelha-se mais a inverno e a Natal... 

O confinamento a que estamos forçados ajuda à reflexão, à união familiar e ao abrandar do stress diário...

Tenho andado a preparar as lembranças que iremos oferecer à família e amigos, a maior parte realizada por mim com muito carinho e amor...

As decorações e as árvores de Natal foram ontem montadas, o meu presépio de crochet fica montado o ano inteiro na nossa sala, visível a todos os que nos visitam...

IMG_7001.JPG

IMG_7004.JPG

IMG_7008.JPG

IMG_7009.JPG

IMG_7017.JPG

IMG_7019.JPG

IMG_7027.JPG

IMG_7033.JPG

IMG_7035.JPG

IMG_7038.JPG

IMG_7047.JPG

IMG_7062.JPG

 

Hoje será o ponto alto dos preparativos, a montagem do presépio!

A celebração do Natal começará quando o meu filhote regressar a casa e a família se encontrar reunida! 

publicado por Adelaide Pereira às 14:20

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Bem vindos ao meu blog!!!

.pesquisar

 

.Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quem corre por gosto não ...

. Descansa em paz, Mãe!

. Uma Vida no Nosso Planeta...

. Pernas elegantes nem daqu...

. Lembranças que aguardaram...

.arquivos

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.Tags

. todas as tags

.links

.Selinhos recebidos

.Velas acesas, uma por cada um dos membros da minha família, pela paz, e para que se acabem todos os tipos de maus tratos no Mundo!!

.As minhas afilhadas de blog: - Nélia - Arte das Manas / - Teresa - Artxike

blog da Nélia
blog da Teresa

.Leilão Forumeiros

Leilão Forumeiros
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub